Friday, 13 September 2013

O futuro do Joca


- Cadê o pão, Joca ?

- Tinha pão no supermercado não!

- Como num tinha, menino ?

- Hmmm... greve dos padero! as gôndola tava rapada.

- Tá Joca, então me dê o dinheiro.

- Olhe, minha mãe, um pivete me assaltô. Como tu merma ensinô, passei a grana, né ?

- Pare de brincá e me dê o dinheiro, minino!

- É verdade pura, mãinha.

- Olhe sua safadeza, dê aqui meu dinheiro!!

- Verdade, minha mãe. Tu só fica de grude na tv, receita pra micronda e tu tem micronda?  Vô estudá mais Nildete, fui!

- Sim! tu mais Nildete vão fica junto pra estudá, sei... vai, vai antes que eu lhe pegue.

(A noite na cama...)

- Marido, cê ouviu as notiça da greve dos padero?

- Tô sabendo nada não. Lanchei pão indagorinha coa turma. O Bolero, do sindicato dos padero, disse nadica de greve e veui na pirua mais eu.

- Sevirino dos Santos Anjos, tu credita que nosso Joca foi na casa de Nildete, pra estudá?

- Há Há! Luzitânea, mi conte esse arerê...

- Tô com preocupação no Joca. Hoje, num tico de tempo, inventô treis mintira, Sevirino! ele assiste os político na tele, diz que eles é da hora...

-Te preocupa não mulher, vai vê, nosso Joca tá com idéia de ser viriadô, insperto, vai vê ele tá treinando.
O minino tá arranjando caminho certo pra enricá. Se apercebeu que nóis, por direiteza num enchemo pé-de-meia. Lembra quando tia Merênça deixou o terreninho? Cê ficô repetino, vende, bota na popança, bota lá pro futuro do nosso Joca. Deu no que deu, né mulhé? E tu votô no tinhoso escovadinho, do saco preto. Te falei ! E a ministra dos dentinho apartado, a encapetada surrupiô nossas popança pra comprá um carro Fiáti e sentô no futuro do Joca...

       - Já lhe pedi perdão demais. Tu te lembra dos repórti   
       da  tele? Gente istudada, e num cairo na arataca? Comé que eu ia sabê ? Fica assim não, home, Deus há de nos ajeitá ! Apaga essa luz, olha a conta !

- E aí, tu ligô pra Bahia hoje, Luzitânea ?

- Mano Raimundo atendeu no orelhão da rua. Contô que assaltaro o posto bancário lá de Itacaré, vinte e dois bandido de metralhadora, ô meu padinho Cirço!

- Luzitânea, e tu ainda fala em vorrtá ? Foi só abri mais estrada e a ladroage chegô lá.

- Sevirino, tu acha mermo que essa coisa de sê viriadô é bom pro nosso Joca? A gente só tem ele de minino...

- Luzitânea, durma e sonhe que ele vai enricá, falá bonito que nem dotor Percival Tasca! a sina de nosso fio vai melhó que a nossa...

- Se tu acha que é bom pra nosso fio... tenha uma boa noite, Sevirino.

- Boa noite nada neguinha, agora tu me assanhô! Se achegue, vamo festejá o futuro de Joca...